Comunicado

APEEC

COMUNICADO

A APEEC tem estado atenta e deveras preocupada com a situação atual da “nossa” Escola, por esse motivo decorreu a semana passada uma assembleia Geral extraordinária para discussão e esclarecimento das situações aqui por si apresentadas. Como devem saber foi decidido que, como primeira forma de protesto, iríamos apresentar reclamações, no livro para esse efeito, na escola do Agrupamento “Fontes Pereira de Melo”, espero que os encarregados de educação que apresentam essa preocupação o tenham feito. A APEEC logo no início do período escolar solicitou uma reunião para a Câmara Municipal do Porto, para alertar para o que se estava e iria passar com a falta de pessoal não docente. Tentamos reunir a CMP o Agrupamento e a direção da escola para que, conjuntamente com a APEEC, identificasse-mos as falhas e juntos encontrasse-mos uma solução para a mesma. Apesar da reunião ter sido pedida por nós houve esse encontro, sem a nossa presença, pois não fomos convidados a participar na mesma, e foram identificados alguns problemas. Não nos informaram da mesma e tivemos conhecimento da reunião bem como das decisões tomadas através da CMP “Drª. Helena Vieira” do Departamento de educação. Foi novamente reforçada a urgência da situação e que se não houvesse resposta iríamos fazer uma ação de protesto em frente à CMP no dia Seguinte, Sexta-feira. A verdade é que a Câmara, quando alertada para o problema com a falta de pessoal, disponibilizou de imediato uma funcionária para a escola elevando para quatro o seu nº colmatando desse modo as faltas que existem neste momento.

Relativamente ao acompanhamento diferenciado que as crianças com Necessidades educativas especiais, necessitam e merecem; todo este processo está a ser trabalhado quer APEEC quer por alguns encarregados de educação a título individual. Para fazer entender a tutela que o rácio por eles apresentado de pessoal docente e não docente por criança é de todo insuficiente, devido ao elevado grau de dependência que algumas crianças apresentam, necessitando desse modo um acompanhamento mais intensivo e que sem pessoal devidamente habilitado para esse efeito não é possível. Apresentamos um pedido de fiscalização à escola por parte do INR.

Na Segunda-feira estivemos novamente reunidos com a Drª. Clara, representante do agrupamento para o Pré-escolar, onde voltamos a reclamar para a nossa escola mais efetivos.

Resumindo e para dar conhecimento aos restantes encarregados de educação é o seguinte:

– responsabilidade do pessoal docente e não docente do 1º Ciclo é do ministério da educação representado aqui pela DGEste, o Pessoal não docente, do Jardim de infância, bem como as instalações da escola é da responsabilidade da CMP.

A APEEC, bem como todos os restantes membros da APEEC, somos encarregados de educação de alunos que frequentam a escola dos Castelos pelo que estamos a viver este drama na 1º pessoa. Tivemos até à data, desde que as aulas começaram, 3 reuniões com o Agrupamento, várias reuniões de direção 3 longas conversas telefónicas com a CMP, apresentamos reclamações no livro de reclamações do agrupamento, recolhemos um abaixo-assinado, pedimos a fiscalização da escola para a entidade competente para esse efeito, reclamamos para a DGESTE, estivemos em contato com o Jornal de notícias para futura noticia sobre o que se está a passar na escola, temos estado a tentar agendar uma reunião com a ELI para saber qual o seu projeto para com as crianças com NEE. Como devem imaginar tudo isto leva imenso tempo, o que para quem trabalha e tem filhos pequenos é complicado.

De qualquer modo ficam aqui algumas respostas à questões colocadas pelos Encarregados de Educação:

  1. Situação do n.º de auxiliares para o JI. 4 elementos?

Sim neste momento são quatro auxiliares e três Educadoras, mas esperamos vir aumentar o seu nº junto da CMP.

  1. Situação da segurança na escola. Medidas, porteiro ou não. Quem deve fazer o pedido para termos um porteiro? Já foi feito esse pedido? Quem de direito é que pode decidir?

A APEE, desde o nosso primeiro mandato à 2 anos, que pedimos um porteiro para a escola, sendo a resposta sempre a mesma. “dado o momento atual todas as novas contratações estão bloqueadas pela tutela” Quem faz a gestão de pessoal é o Agrupamento Fontes Pereira de Melo. A APEEC colocou também a hipótese de sermos nós a contratar uma pessoa para esse efeito mas para isso temos de disponibilizar euros dos nossos bolsos.

  1. “Muitos” encarregados de educação ficaram a saber que alguns meninos, por opção ou não dos seus pais, não têm ido à escola, alegando falta de segurança. Será uma exagero? Como passar a informação a todos os pais? Porque, e isto é uma opinião pessoal, parece-me que apesar da gravidade da situação e do perigo ocorrido com um menino que saiu sozinho, os pais estão muito alarmados e colocam questões. Será o alarmismo acompanhado de falta de informação e inatividade dos mesmos a solução?

Essa questão colocamo-nos todos os dias quando passamos horas a trabalhar, quer para os nossos filhos, quer para os filhos de todos os encarregados de educação da escola dos Castelos. A titulo de exemplo foi entregue a todas as crianças um papel a comunicar a assembleia extraordinária, foi também colocado papeis a informar da mesma e mesmo assim alguns encarregados de educação não souberam da mesma????

Não será melhor estarem mais atentos e participativos? A falta de segurança é uma realidade e se todos agirmos em conjunto podemos alterar essa realidade.

  1. Situação da higiene das casas de banho, falta de papel e material necessário?

Higiene – falta de funcionárias o eterno problema.

Falta de papel? Se for para o WC ele é distribuído pelas funcionárias de modo às crianças não entupirem as sanitas. Se se tratar de papel tipo A4, apesar de ser da responsabilidade da escola disponibilizar esse material, todos os anos alguns encarregados de educação levam 1 resma e restante material para ser usado na sala do seu educando.

  1. Situação das obras no muro da escola. Que medidas e quem tem autoridade para resolver o problema?

É da responsabilidade da CMP. Essa questão teve inicio no fim do ano letivo anterior onde foi comunicado à CMP a necessidade de fazer a manutenção ao referido muro. Acontece que a CMP só se propôs a resolver essa questão agora. Quando iniciaram as obras o proprietário da habitação vizinha reclamou junto da escola pois, dizia ele, o muro não era meeiro mas sim dele….. resumindo a rede vai ser colocada pelo lado de dentro da escola estando a CMP à espera que chegue o novo material pois a rede terá de ser maior.

Esperamos ter conseguido responder às vossas questões, mas de qualquer modo contamos convosco pois onde todos ajudam … custa menos.

Atenciosamente,

APEEC

Associação de pais dos encarregados de educação dos Castelos

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under Uncategorized

Os comentários estão fechados.